Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

This Logo Viewlet registered to qPloneSkinBusiness4 product

Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Entrada Investigação NEGEM - Núcleo de Estudos em Género e Música

NEGEM - Núcleo de Estudos em Género e Música

Paula Gomes Ribeiro (coordenação). Membros: Mariana Calado, Júlia Durand, Joana Freitas, Rodrigo Lourenço, Minerva Martins, Tomás Matos, Manuela Morilleau de Oliveira, João Romão. Colaboradores: Cátia Sousa, Maria Teresa Lacerda, Tomás Almeida.

 

 

 

NEGEMlogo.jpg        NEGEM.jpeg


NEGEM - Núcleo de Estudos em Género e Música

do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical

 

O NEGEM inaugurou em Portugal o trabalho científico sistemático no domínio referido, e constitui-se por uma equipa de investigadores e estudantes que se tem vindo a dedicar à pesquisa de diversos aspectos das relações entre género e música (ancoradas primordialmente nos campos da sociologia da música, dos estudos culturais, dos estudos de género, dos queer studies, da história social e dos estudos sobre as mulheres), visando uma diversidade de objectos e processos, e recorrendo a quadros teóricos interdisciplinares.

 

Ao encararmos o género como factor sociocultural e político subjacente à construção e economia de sociabilidades e logo, como instrumento de poder e de gestão sociocultural, assumimo-lo como um contributo indispensável na problematização de todo o  fenómeno, prática, processo expressivo, representação ou cultura musical. Um dos eixos principais da nossa missão é, assim, a integração das categorias de género no campo da investigação em música, de modo integrado e interdisciplinar, utilizando e revendo métodos, instrumentos detrabalho, discursos e pontos de vista das ciências sociais.


Interessa-nos, neste percurso, estudar as vivências, as práticas do quotidiano, os estilos de vida, as sociabilidades e os seus espaços, as estruturas de poder e dominação e as suas hierarquias, a construção de diferenças, os processos de naturalização de comportamentos e ideias, a racionalização do conhecimento e os processos de gestão, canonização e invisibilização de discursos, figuras ou ideias.

 

 

Entre as linhas de trabalho que têm vindo a ser exploradas pelos elementos desta equipa salientam-se:

  • a identificação e problematização da construção, uso e reprodução de normas, comportamentos e discursos legitimadores de modelos de género, queerness e sexualidade, e a sua presença e relação com práticas e discursos musicaisespecíficos, designadamente em Portugal;
  • a análise dos modos como as construções sociais e modelos de representação conducentes ou associados à genderização de papéis sociais, se associam ou apresentam na prática musical bem como nos discursos e pontos de vista sobre a música;

  • a abordagem a processos de estabilização e canonização de sistemas de comunicação musical e músico-dramatúrgica, e ao modo como estes definem, transgridem e/ou reproduzem, em contextos específicos, modelos de performances de género, estabelecendo-se como instrumentos ideológicos de educação moral, de estratificação e autorregulação social;    
  • o estudo de modelos de estratificação e hierarquização dos géneros e da sua associação a determinados contextos culturais, grupos e comportamentos sociais, visando práticas musicais, músico-teatrais, audiovisuais e multimédia;    

  • estudo da performance de género na economia afectiva e simbólica do actual paradigma comunicacional da música na Web 2.0  incluindo, entre outras, manifestações musicais nas indústrias e plataformas musicais on-line, em práticas interactivas, produtos audiovisuais, televisão, videojogos e social media;    
  • o estudo de comportamentos e políticas de género na construção do gosto e de sociabilidades musicais (considerando aspectos de produção, mediação e recepção);    

  • música, género e sexualidades na pornografia digital e em outros produtos audiovisuais;    

  • a inquirição dos processos de inclusão e exclusão de processos, ideias, figuras, eventos musicais em narrativas históricas, aspectos de gestão política da memória colectiva.    

     

     

Constituindo-se como plataforma de discussão crítica e de produção de saber, o NEGEM, pretende contribuir para a concepção e disseminação de trabalhos científicos nos campos visados bem como para motivar o surgimento de novas ideias e projectos, incentivando o contacto e debate entre estudantes e investigadores de diversas proveniências e instituições, ao nível internacional. É neste sentido que promovemos ações de disseminação do conhecimento, e de formação para públicos diversos, prevendo ainda uma série de publicações monográficas e periódicas, traduções de obras nucleares, entre outras iniciativas de investigação, formação e disseminação científica e social.


Por entre as publicações e participações em colóquios dos actuais membros desta equipa salientam-se nomeadamente: Paula Gomes Ribeiro, Hystérie et Mise en Abîme: le drame lyrique au début du XXème siècle, Paris, L'Harmattan, 2002 (livro); Paula Gomes Ribeiro, “Repensar os cânones de representação da família e do género nas práticas líricas”, Revista Sociedade e Cultura, Brasil, v. 15, n. 2, 2º semestre de 2012; Dissertação de Mestrado em Musicologia Histórica de Helena Braga (defesa agendada, 2013) “Francine Benoît e algumas das suas redes de sociabilidade: invisibilidades, género e sexualidade entre 1940 e 1960”, FCSH, UNL; Helena Lopes Braga, “Para a história da invisibilidade lésbica na musicologia – Francine Benoit”, Lesonline,  vol. 4, nº1, 2012; Cátia Sousa, “A música e o género ‐ leitura crítica das práticas transgressivas e de emancipação feminina nos anos 1920 em Lisboa presentes na literatura da época”, Exposição no Colóquio de Sociologia da Música, ‘Práticas da música no quotidiano”, FCSH, UNL, 2012; Dissertação de Mestrado em Musicologia Histórica de Manuela Morilleau de Oliveira “As mulheres da família real portuguesa e a música: estudo preliminar de 1640 a 1754”, FCSH/UNL, 2011; Manuela Morilleau de Oliveira, “A Casa das Rainhas e a Música: A prática musical na casa de D. Maria Ana de Áustria (1683-1754)”, Comunicação ao I Encontro Ibero-Americano de Jovens Musicólogos, Palácio Foz (Lisboa), 22-24 de Fevereiro 2012.


Próximas actividades:

No I Seminário NEGEM - Das políticas de género nos discursos e nas práticas da música, que decorre em Novembro e Dezembro de 2013, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, irão ser apresentadas investigações em curso, propondo-se o estabelecimento de um conjunto de debates.

Participação de cinco elementos do NEGEM no 3º ENIM, Encontro Nacional de Investigação em Música, da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música, Cascais, Novembro 2013.

 

 

Contactos e Informações:

E-mail: negemus@gmail.com
Web: NEGEM | NEGEM CESEM | Facebook

 

 

 

Acções do Documento